31 de jan de 2007

Tempos Modernos


Bruno Accioly

"Três dias depois, quando a raiva e a humilhação haviam passado, ela resolveu procurá-lo:

- Posso saber por que não me procurou?
- Espero que me perdoe, mas não vamos mais poder nos ver.
- Como?
- Você não vai acreditar, mas me apaixonei pela minha mulher.
- De que droga está falando?
- Sei que parece um absurdo, mas como você não me respondeu aquele dia, resolvi voltar pra casa. Qual a minha surpresa quando fui recepcionado pela minha esposa, coberta apenas por um véu semi-transparente, deitada no final de um corredor delicadamente criado por centenas de velas brancas. Confesso que cheguei a ter medo inicialmente. Achei que fosse algum culto satânico. Mas ela me interrompeu o pensamento e me jogou contra a parede, depois sobre o sofá e... e... não saimos do quarto por 3 dias. Seguidos! Estamos curtindo algo que não tivemos nem em nossa lua de mel!!
- Mas que merda é essa? E como assim ‘não te respondi aquele dia’ ??
- Olha, a culpa não é sua. Acho que foi sorte.... ou azar, sei lá. Provavelmente isso não teria acontecido caso você tivesse respondido a minha mensagem.
- Mas que mensagem??
- Como assim ‘que mensagem’?? A que te enviei no celular... deixa eu ver... aqui! Olha! ‘Parece uma eternidade que não nos vemos nem nos falamos. Talvez tenha sido culpa minha, mas saiba que não paro de pensar um você minuto algum do meu dia. Te quero, te amo e serei eternamente seu. Não vejo a hora de te ver hoje!’
- Jamais recebi essa mensagem.
- Recebeu sim... até guardei a confirmação... aqui... entro aqui... olha... e, epa!
- ... que foi?
- Realmente. Você não recebeu a mensagem.
- Não falei?
- Mas eu a enviei, como te mostrei. E ela foi recebida.
- Eu não recebi.
- É. Não... descobri isso agora.... bom, como eu disse, acho que foi sorte.
- Não pra mim.
- Me desculpe. Até.

2 comentários:

Fabi disse...

Nada de sorte. Pura intervenção divina!!
Beijos.

Denise Aletéia disse...

Eba! Que bom que não abandonou a revista...

Adorei o texto como sempre mas, fiquei com raiva do final. hahaha

Que sorte infernal a da mulher do cara! rs

Bjinho